Um computador para melhores notas no boletim?

Um computador para melhores notas no boletim?

“Se eu tivesse um computador tenho certeza que teria melhores notas no meu boletim”.
“Continuaria tendo que ler o livro para dizer ao computador o que escrever.”
“Por que todo esse rebuliço em cima dos computadores?

Décadas de discussão na tecnologia educacional, destiladas em três quadrinhos.

Desafios da educação brasileira no século XXI

1 Globalização

Neoliberalismo

ARCE, ALESSANDRA. Compre o kit neoliberal para a educação infantil e ganhe grátis os dez passos para se tornar um professor reflexivo. Educ. Soc. [online]. 2001, v.22, n.74, pp. 251-283. ISSN 0101-7330.  Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302001000100014>. Acesso em 12 set. 2012.

PARO, Vitor Henrique Paro. Parem de preparar para o trabalho: Reflexões acerca dos efeitos do neoliberalismo sobre a gestão e o papel da escola básica. In: FERRETTI, Celso João et alii; orgs. Trabalho, formação e currículo: para onde vai a escola. São Paulo, Xamã, 1999. Disponível em: <http://www.pedagogia.seed.pr.gov.br/arquivos/File/
Docs%20CGE/parem_de_educar_para_trabalho.pdf
>. Acesso em 12 set. 2012.

Multi e interculturalidade

FLEURI, Reinaldo Matias. Intercultura e educação. Revista Brasileira de Educação, n. 23, p. 16-35. maio/hun/hul/ago 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n23/n23a02>. Acesso em 24 set. 2012.

FERNANDES, Bernardo. Globalização e multiculturalismo. REDH Brasil – Capacitação de Educadores da Rede Básica em Direitos Humanos, s.d. Disponível em: <http://www.redhbrasil.net/documentos/bilbioteca_on_line/
modulo3/1.globalizacao_bernardo.ppt
>. Acesso em 24 set. 2012.

2 Tecnologias

Inclusão digital

BECKER, Maria Lucia. Inclusão digital: os limites e desafios da tecnologia
como fator de inclusão social e cidadania. Emancipação, Ponta Grossa, v. 8, n. 2, p. 49-57, 2008. [online]. Disponível em <http://www.revistas2.uepg.br/index.php/emancipacao/article/viewArticle/123>. Acesso em 24 set. 2012.

DEMO, Pedro. Inclusão digital – cada vez mais no centro da inclusão social. Inclusão Social [online], Brasília, v. 1, n. 1, p. 36-38, out./mar., 2005. Disponível em: <http://revista.ibict.br/inclusao/index.php/inclusao/article/view/4>. Acesso em 24 set. 2012.

Cibercultura

SILVA, Marcos. Educação na cibercultura: o desafio comunicacional do professor presencial e online. Educação e Contemporaneidade [online], v. 12, n. 20, p. 261-271, jul./dez., 2003.  Disponível em: <http://www.uneb.br/revistadafaeeba/files/2011/05/numero20.pdf>. Acesso em 24 set. 2012.

NAVARRO, Vinicius. Os sentidos da convergência: entrevista com Herny Jenkins. Contracampos, n. 21, p. 2-
26, 2010. Disponível em:
<http://www.uff.br/contracampo/index.php/revista/article/viewPDFInterstitial/77/57>. Acesso em 12 mar.
2011.
(a partir da página 14, versão emp português)

3 Precarização

Precarização do trabalho docente

LAPO, Flavinês Rebolo and BUENO, Belmira Oliveira. Professores, desencanto com a profissão e abandono do magistério. Cad. Pesqui. [online]. 2003, n.118, p. 65-88. ISSN 0100-1574. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742003000100004>. Acesso em 12 set. 2012.

SAMPAIO, Maria das Mercês Ferreira and MARIN, Alda Junqueira. Precarização do trabalho docente e seus efeitos sobre as práticas curriculares. Educ. Soc. [online]. 2004, vol.25, n.89, p. 1203-1225. ISSN 0101-7330. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302004000400007>. Acesso em 12 set. 2012.

Espaço escolar

MADEIRA, Felícia Reicher. Violência nas escolas: quando a vítima é o processo pedagógico. São Paulo Perspec. [online]. 1999, vol.13, n.4, p. 49-61. ISSN 0102-8839. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0102-88391999000400006>. Acesso em 19 set. 2012.

NJAINEL, Kathie; MINAYO, Maria Cecília de Souza. Violência na escola: identificando pistas para a prevenção. Interface – Comunic, Saúde, Educ [online], v.7, n. 13, p.119-34, ago 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/icse/v7n13/v7n13a08.pdf>. Acesso em 19 set. 2012.

ABREU, Marisa. Alimentação escolar: combate à desnutrição e ao fracasso escolar ou direito da criança e ato pedagógico? Em Aberto [online], v. 15, n. 67, 1995. Disponível em: <http://rbep.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/viewFile/1002/905>. Acesso em 19 set. 2012.

ELALI, Gleice Azambuja. O ambiente da escola – o ambiente na escola: uma discussão sobre a relação escola-natureza em educação infantil. Estud. psicol. (Natal) [online], v. 8, n. 2, Aug. 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-294X2003000200013&lng=en&nrm=iso. Acesso em 19 set. 2012.

TEIXEIRA, Roberta Araújo. Espaços, recursos escolares e habilidades de leitura de estudantes da rede pública municipal do Rio de Janeiro: estudo exploratório. Rev. Bras. Educ., [online] o, v. 14, n. 41, Aug. 2009 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782009000200003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 19 set. 2012.

DA SILVA, Ricardo; YAMASHITA, Yaeko. Análise dosprincípios de igualdade e critérios de distribuição de recursos para o transporte escolar rural. Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes – ANPET, 2008. Anais…[online]. Disponível em: <http://www.anpet.org.br/ssat/interface/content/autor/trabalhos/publicacao/
2008/89_AC.pdf>
. Acesso em 19 set. 2012.

4 Transformações

Movimentos sociais

GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais na contemporaneidade. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 16, n. 47,  ago. 2011 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782011000200005&lng=en&nrm=iso>. Acesso em set. 2012.

Educação popular

GADOTTI, Moacir. Paulo Freire e a educação popular. Proposta, n. 113, 2007. Disponível em: <http://www.fase.org.br/v2/admin/anexos/acervo/1_gadotti.pdf>.
Acesso em 12 set. 2012.

5 Universalização

Direitos humanos

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos [online]. Brasília : Secretaria Especial dos Direitos Humanos ; Ministério da Educação, 2003. Disponível em <http://netica.org.br/educadores/cartilha/plano-educdh.pdf>. Acesso em 24 set. 2012.

RABENHORST, Eduardo R. O que são direitos humanos? REDH Brasil – Capacitação de Educadores da Rede Básica em Direitos Humanos, s.d. Disponível em: <http://www.redhbrasil.net/documentos/bilbioteca_on_line/modulo1/
1.o_q_sao_dh_eduardo.pdf
>. Acesso em 24 set. 2012.

Minorias sociais e diversidade

DINIS, Nilson Fernandes. Educação, relações de gênero e diversidade sexual. Educ. Soc. [online], v.29, n.103, p. 477-492, 2008. ISSN 0101-7330. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302008000200009. Acesso em 24 set. 2012.

PEREIRA, Paula de Abreu. Educação das relações étnico-raciais na escola. Cadernos do CEOM [online], Chapecó, n. 32, 2010. Disponível em:http://apps.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rcc/article/view/681/442. Acesso em 24 set. 2012.

Cultura da convergência tecnológica, cultura escolar e mídias digitais

cultura convergência digitalTablets, wifi, ebooks, gadgets, notes e nets. Facebook, blogs, tubes, wikis, tweets. Acesso imediato, interatividade, informação total. As tecnologias de informação e comunicação estão mudando dramaticamente as formas de trabalho, de socialização, de comunicação e, como não poderia deixar de ser, da aprendizagem.

É com este mote que me propus a refletir criticamente sobre os múltiplos conceitos de convergência, tanto no âmbito da cultura escolar como no aspecto de aplicação da tecnologia na educação, no texto intitulado “Sob o signo da convergência: reflexões sobre o papel das mídias digitais interativas na educação.

Dessa forma, diante dos novos “espaços e tempos” no processo de ensino e aprendizagem e além da utilização dos  meios de comunicação e de outras atividades externas à sala de aula (experimentais, profissionais e culturais), a convergência digital e tecnológica está levando a uma reorganização dos ambientes presenciais.

Para a educação, as implicações desta convergência de meios e formatos digitais, incluindo redes sociais e ferramentas de construção coletiva do conhecimento, consistem na adoção de um letramento midiático que estimule o pensamento crítico e a participação social e com a integração de diversos estilos de aprendizagem.

Entre as questões levantadas, como isto afeta a cultura escolar formal na qual estamos tão imersos? Será esta uma possibilidade real de aproximar a relação educação e cidadania? A “cultura da convergência” proposta por Henry Jenkins poderá ser uma força de transformação dos processos de ensino e aprendizagem?

O trabalho foi apresentado na 34 a Reunião da ANPED – Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação, realizada em Natal, Rio Grande do Norte, entre os dias 2 a 5 de outubro de 2011, no Grupo de Trabalho 16 – Educação e Comunicação.

Apresentação

Acesso ao texto

Sob o signo da converg̻ncia РAnped 2011 (1142 downloads)

O tecnicismo revisitado

tecnicismo e tecnologia educacionalO engenheiro Alexandre Dias, de 38 anos, não é mais diretor-geral do Google no Brasil. Nesta quinta-feira, o executivo anunciou seu desligamento da empresa de tecnologia para assumir o cargo de presidente da Anhanguera Educacional, rede de ensino superior que conta com 300 mil alunos espalhados em faculdades localizadas em 40 cidades e que faturou R$ 1 bilhão em 2009, aumento de 40% em relação ao ano anterior.

Nos próximos cinco anos, a Anhaguera Educacional espera superar um milhão de alunos matriculados. Hoje, o mercado brasileiro de educação soma sete milhões de alunos, sendo que mais de 70% estão matriculados em redes privadas. De acordo com a Anhanguera Educacional, esse número deve aumentar nos próximos anos uma vez que existem 20 milhões de jovens, principalmente na classe C, que não têm diploma.

Algumas frases dita em entrevista:

“A educação é um setor que passa por um processo de profissionalização e que atrai capital e gestão de ideias. Mais do que nunca, é um setor que vai passar por uma revolução. Hoje a educação ainda é muito tradicional, usa giz e quadro para transmitir conhecimento. Tem gente que discute se esse é o melhor método de passar o conhecimento.”

“O que chama a atenção lá fora é a visão de escalabilidade da tecnologia na educação. Alguns grupos educacionais têm data center e oficinas de conteúdo que distribuem conteúdo em escala para milhares e milhares de alunos. É como navegar num portal ou numa loja virtual. Mas, ao invés de fazer uma compra ou ler uma notícia, você passa por uma experiência de aprendizagem.”

“É um salto grande. Mas em 2005 a empresa tinha 20 mil alunos. Naquela época, falar em 300 mil era um sonho distante. A ideia agora é acelerar o crescimento. Pelo histórico, isso é possível. Para atrair, vamos usar três alavancas. A primeira é o modelo orgânico de crescimento, onde visualizar espaços no mercado para faculdades e trabalhar o mercado da região. Também vamos fazer aquisições. A Anhanguera é a empresa que mais fez aquisições no mercado de educação”

O seguinte vídeo também ajuda a ilustrar alguns princípios desta proposta educacional:

1, Qual o pressuposto epistemológico implícito nesta visão de educação. Justifique.

2. Analise esta proposta educativa em função do esquema “agente – educando – mensagem – contexto- finalidade”.

3.Esta proposta pode ser entendida como um ressurgimento da tendência pedagógica chamada “educação liberal tecnicista”. Com esta informação e baseado leituras de material bibliográfico, responda:

a) Por que esta tendência se chama “liberal”?

b) Identifique três características da tendência tecnicista na educação.

c) A pedagogia tecnicista é “encarada como um instrumento capaz de promover, sem contradição, o desenvolvimento econômico pela qualificação da mão de obra, pela redistribuição de renda, pela maximização da produção”. Você acredita que este projeto é capaz de transformar a realidade social? Justifique.

4. Diante das discussões sobre o conceito de “educação”, “educador’, “pedagogia” e “práxis pedagógica”, posicione-se diante deste projeto educativo. Justifique, utilizando argumentos e buscando fundamentos em sua resposta.

Bibliografia

Marques neotecnicismo from Marcelo Sabbatini

MIRA, Marilia Marques; ROMANOWSKI, Joana Paulin. Tecnicismo, neotecnicismo e as práticas pedagógicas no cotidiano escolar. In: IX Congresso Nacional de Educação, III Encontro Brasileiro de Psicopedagogia, Curitiba, 26-29 de outubro de 2009, Anais…, Universidade Federal do Paraná, 2009.

SAVIANI, Demerval. História das idéias pedagógicas no Brasil. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2008.